• Marina Camargo

Vai começar o curso de Acordeom! E agora?


Finalmente começaram as nossas aulas de acordeom. E as grandes perguntas são?

Será que vou aprender? Será que vou progredir e tocar aquela música que quero tanto?

Ou tudo isso é só um sonho?

Então vou passar algumas sugestões de como estudar, quando, quanto tempo. E algumas dicas baseadas na minha experiência como estudante também!

1 – Tempo X Prioridade

No começo do semestre estamos empolgados. Tudo é novo e o novo é divertido. Começamos bem e de repente vem as afirmações: “mas estou sem tempo”, “essa semana não tive tempo de estudar”, “professora, nem peguei no instrumento”.

Fiquem tranquilos, eu também já dei essas desculpas algum dia!

“O primeiro princípio é que você não deve enganar a si mesmo, mas você é a pessoa mais fácil de se enganar” (Richard Feynman, físico ganhador do Prêmio Nobel)

Tenho aprendido que tempo é questão de prioridade. Claro que tocar acordeom não é a sua única prioridade na vida. Mas se você está matriculado num curso de acordeom é preciso que você coloque isso na sua lista de prioridades. Caso contrário seu tempo e seu investimento nesse curso serão em vão.

Dica n. 1: Organize um tempo diário na sua agenda para tocar acordeom.

E o mais importante: Divirta-se!

2 – Música = Desenvolvimento físico e mental

Nas minhas aulas sempre dou o exemplo do corredor de maratona. Uma pessoa que decidiu que irá correr a São Silvestre, que acontece no final do ano em SP, deve começar a fazer seus treinos hoje, certo?

Ele precisa de um desenvolvimento físico para conseguir essa façanha. Precisa também de um desenvolvimento mental se ele não sabe correr, e de um treinamento motivacional para se manter firme no seu objetivo.

Com a música é a mesma coisa. A música requer um desenvolvimento físico, principalmente da coordenação motora fina. Assim, desenvolvemos a agilidade dos dedos, a postura correta das mãos, os movimentos necessários para dominar o instrumento.

De outro lado precisamos entender toda uma nova linguagem para interpretar partituras, desenvolver uma audição consciente, perceber as diferentes alturas das notas e diferentes ritmos.

Tudo isso requer tempo. Então, se queremos correr a maratona temos que começar hoje, certo?! Pois levará um certo tempo e nossa dedicação para alcançar esse objetivo!

Dica n. 2: Não tenha pressa. Saiba que tocar acordeom requer tempo e dedicação. Siga o percurso e aproveite a paisagem!

3 – Mas eu vou demorar muito pra aprender a tocar? Ou pra me aperfeiçoar?

Isso vai depender da sua dedicação e do “tempo” disponível ou seja, do tempo que você separou na sua agenda diária ou semanal.

Para quem está começando eu sugiro estudar um pouquinho todo dia. Isso, justamente por causa do desenvolvimento físico/motor que eu falei. Como é uma atividade totalmente nova, seu corpo vai precisar de um tempo pra se acostumar com isso. E a melhor forma de se fazer é pela repetição diária dos movimentos desejados. A isso chamamos de memória muscular. Também não é produtivo ficar 5, 6 horas no instrumento. Não exagere, seu corpo está se acostumando.

Eu sugiro de 30 minutos a uma hora de estudo diário. Mas se você não consegue separar esse tempo, faça uma meta diária de 20 minutos. Você vai sentir a diferença ao final de uma semana com apenas esses 20 minutos diários!

Essas dicas servem também pra quem já tem um desenvolvimento no acordeom. Sua parte motora já estará mais desenvolvida, mas por outro lado, você terá mais desafios do que os iniciantes. Então estudar diariamente vai te ajudar a tocar “aquela” música que você tanto quer.

Dica n. 3: Estude diariamente sempre que possível. Faça uma meta de estudo diário anotando na sua agenda, e confira no final da semana se você chegou lá!

4 – E se eu não conseguir?

É claro que você vai conseguir! Te dou a minha palavra!!!

Em 15 anos como professora posso dizer que nunca tive um aluno sequer que não conseguiu tocar nada.

Claro que cada um tem o seu desenvolvimento. Cada pessoa traz uma bagagem musical diferente. Seja por já ter estudado outro instrumento, já ter um conhecimento musical anterior ou ter uma noção rítmica maior. Respeite o seu limite. Trace seus objetivos e siga em frente!

Dica n. 4: Um passo após o outro. Sem pressa. Curta o processo!

“Não há diferença ente um pessimista que diz: ‘Ah, é impossível, então não se preocupe em fazer nada’, e um otimista que diz: ‘Não se preocupe em fazer nada, vai dar certo de qualquer jeito’. Nos dois casos, nada acontece". (Yvon Chouinard, fundador da Patagônia)

#acordeon #estudo #dicas

1,304 visualizações