Armadura de Clave

July 31, 2017

Armadura de clave é o nome dado ao conjunto de acidentes (sustenidos ou bemóis) que são colocados ao lado da clave.

 

 

 

Mas no que isso seria útil na hora da leitura da partitura? Muito útil! A leitura da partitura facilita muito quando você sabe qual escala, tonalidade, você vai usar. Caso você não observe esse "detalhe" sua leitura pode ficar prejudicada, pois você estará tocando notas erradas, por exemplo, caso a armadura tenha sustenidos e você não execute essas notas.

 

Como funciona então?

 

Cada acidente colocado na armadura de clave equivale à nota daquela localização. Por exemplo:

Nessa armadura temos um sustenido na última linha da pauta. Sabemos que a última linha equivale a nota Fá. Então teremos nessa partitura o Fá#. Uma coisa importante é que não é somente nessa altura que o fá será sustenido. Se no decorrer da partitura aparecer a nota fá no primeiro espaço, ela também deverá ser tocada como fá#.

 Esse é o tom de G ou Em, pois ambas as tonalidades possuem o Fá#. As notas circuladas devem ser tocadas como fá#, mesmo que na armadura só tenhamos assinalado o fá# na oitava mais aguda.

 

As armaduras de clave revelam qual é a tonalidade daquela partitura. Mas como saber qual é?

 

Toda armadura refere-se a dois modos, maior ou menor. Ou seja, se tivermos um # na armadura, como no exemplo acima, poderemos ter a tonalidade de Sol maior (G) ou Mi menor (Em).

 

 

É o que nos mostra essa imagem acima. O círculo de fora mostra as tonalidades maiores e o de dentro as menores. 

 

Mas se temos sempre duas tonalidades para cada armadura, como vou saber o tom da música?

Bem, teremos que analisar a harmonia da partitura. Você deve olhar os acordes que mais aparecem naquela partitura. Outra dica é localizar o final da música. Uma música pode não começar no acorde da sua tonalidade, mas ela sempre terminará nele.

 

Veja essa partitura da música Tristeza do Jeca. Temos na armadura de clave um #. Isso indica que a música pode ser na tonalidade de G ou Em. Agora veja se no decorrer da música temos acordes de G ou Em. Podemos ver que não aparece nenhum acorde de Em, no entanto o G aparece com frequência. E se olharmos o final da música podemos ter certeza que a música está na tonalidade de G.

 

Como ler as armaduras

 

Vou te mostrar uma macete pra facilitar a leitura das armaduras. Quando temos uma armadura com # você pode descobrir a tonalidade pegando o último # (da esquerda para a direita) e aumentando um grau. Por exemplo:

Aqui temos Dó como o último #. Subindo um grau a partir de Dó temos Ré. A tonalidade de D tem dois #. Mas e a relativa menor? É só pegar o último # que é Dó e descer um grau, teremos Si. A relativa menor de D é Bm. Então uma armadura de clave com dois # como acima, pode ser a tonalidade de D ou Bm.

 

E quando temos bemóis? Aí o macete é o seguinte: pega-se o penúltimo bemol e já temos a tonalidade.

 

 

No caso acima temos o tonalidade de Bb pois o penúltimo bemol está na linha do Si. E para a relativa menor basta descermos dois graus, assim temos Gm. 

 

Só temos duas tonalidades onde essa regra não se aplica, C e F. Essas duas precisaremos decorar! C é a tonalidade que não tem nenhum acidente, e sua relativa menor é Am. F é a tonalidade que tem um bemol, e sua relativa menor é Dm.

 

Agora para conferir se você entendeu pegue algumas partituras e tente dizer, baseado na armadura de clave, em qual tonalidade elas estão. Deixe aqui nos comentários as suas respostas que irei te dizer se estão certas ou erradas ;)

 

Por hoje é só pessoal! No próximo post vou explicar como escrever os acidentes em uma armadura de clave.

 

 

 

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

O que são e para que servem os registros.

May 7, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes

September 21, 2017

July 31, 2017

Please reload

Arquivo