• Marina Camargo

A origem do Acordeom


A origem do acordeom é incerta, visto que são vários os registros na história de pessoas que desenvolveram, ou até mesmo inventaram, um instrumento semelhante ao que conhecemos hoje.

Tem-se notícia de que os chineses inventaram, em 2.700 a.c., um instrumento chamado cheng ou tcheg. Consistia numa espécie de órgão portátil, composto por palhetas que eram acionadas através do ar soprado por orifícios. Esse instrumento é utilizado ainda hoje na música chinesa.

Possivelmente o cheng chegou à Europa por volta de 1777, e teve seus princípios utilizados na fabricação do acordeom. A exemplo do antepassado chinês, no acordeom o som também é produzido pelo ar bombeado através das palhetas, porém não pela boca, mas pelo fole. Tem-se também notícia de que outros instrumentos utilizando a técnica de vibração das palhetas foram desenvolvidas no Egito antigo e na Grécia.

Não se sabe ao certo como se deu a evolução do acordeom depois de adquirir os princípios do Cheng. Na Europa um impresso de 1835, escrito por Adolph Muller, listava seis variedades de acordeões, todos diatônicos e nas tonalidades de Dó, Sól ou Ré. Fatos curiosos foram observados nessa época, existiam modelos em que os baixos eram acionados pelos pés, em outros era necessária a presença de outra pessoa para empurrar ar para dentro do instrumento.

O acordeom como é conhecido hoje, tem sua origem na Europa, mas sua invenção é atribuída a três pessoas distintas:

1. Friedrich Buschmann: em 1821 patenteou em Berlim um instrumento chamado Handeoline que “incorporava um fole e um teclado de botões”;

2. Cyrillus Demian: registrou em 1829, em Viena, um instrumento sob o nome de Accordion, que já incorporava acordes aos baixos;

3. C. Buffet, segundo o Dicionário Larousse, inventou o acordeom em 1827. No entanto, é mais provável que Buffet tenha sido o pioneiro na fabricação do instrumento e não seu inventor.

Acredita-se que o acordeom chegou ao Brasil primeiramente pela região sul, trazido pelos imigrantes italianos, por volta de 1836. Já a introdução do acordeom no Norte do Brasil dá-se por volta de 1864-1870.

O acordeom adquiriu no Brasil diferentes denominações, conforme a região. Para os sulistas ele é gaita, cordeona ou acordeona. No Norte e Nordeste é chamado de sanfona ou fole.

Diz-se que o acordeom “foi um instrumento feito principalmente para a dança. No campo, os acordeonistas animavam bailes de aldeia em aldeia por toda a Europa e também no Brasil, principalmente no sul e no interior”. Atualmente, no Nordeste, o acordeom é usado também para animar os bailes do interior e capital denominados de “forrós”, acompanhado de zabumba, triângulo e agogô.

Desde sua chegada ao Brasil o acordeom tornou-se o instrumento "oficial" das festas e bailes em todo o país. E até hoje é difícil imaginar a música gaúcha, nordestina e sertaneja sem o acordeom!

Solo de cheng

Pequeno Documentário de como se monta um acordeom.

Referências:

CASCUDO, Luis da C. Dicionário do Folclore Brasileiro. Belo Horizonte: Itatiaia, 1984.

MATTOS, Márcio. A evolução do baião. Pesquisa do programa CNPq, Universidade Federal do Ceará.

#história #acordeon #origem

134 visualizações