• Marina Camargo

Ritmo (parte 1)


O assunto de hoje é a base da Música, ouso dizer que sem ele não existe a música como conhecemos: é o Ritmo.

Primeiro vamos a algumas definições básicas:

O QUE É RITMO?

É uma frequência que se mantém constante, que não atrasa e não acelera.

"A vida do homem é cercada de acontecimentos rítmicos o tempo todo. Começando na gestação, com o bater do coração, depois com outras frequências biológicas, como as do respirar, piscar os olhos, caminhar, os acontecimentos repetidos de sono e vigília.

As frequências biológicas do próprio corpo foram fundamentais para as noções de tempo e a criação do relógio, bem como no desenvolvimento de artes relacionadas ao tempo, como a música, a poesia, a dança." - wikipedia

A música é uma arte que se manifesta no tempo. Estudamos a DURAÇÃO da nota SOANDO ou SILENCIANDO no tempo.

Os primeiros instrumentos da humanidade provavelmente foram instrumentos percussivos, existem peças de mais de 70 mil anos (!) que foram usadas como tambores.

Todo o músico precisa praticar o ritmo, ele pode ser aprendido, aprimorado e desenvolvido!

RÍTMICA

A rítmica é uma ciência do ritmo que objetiva desenvolver e harmonizar as funções motoras e regrar os movimentos corporais no tempo e no espaço, aprimorando o ritmo.

METRÔNOMO

É o aparelho que utilizamos para treinar a nossa "percepção rítmica", a capacidade de sentirmos se estamos no ritmo ou se estamos atrasados ou adiantados. Hoje existem modernos metrônomos digitais bem como aplicativos gratuitos para celular.

O estudo constante com o metrônomo habilitará você a tocar "junto" com outros músicos, fazer gravações profissionais, etc.

Para saber mais sobre o metrônomo confira o post AQUI.

LEITURA RÍTMICA

É a parte da leitura de partitura que se dedica a "decifrar" a duração da nota. Existem vários livros que abordam exclusivamente a leitura rítmica, entre eles estão o método "Pozzoli" e o "Bona".

SOLFEJO RÍTMICO

É quando praticamos a leitura rítmica sem um instrumento, somente "cantando" as notas e as suas divisões rítmicas e pausas. Podemos cantar com "tá-tá-tá", com "um-i-e-a" (geralmente usado por professores de bateria), com "tá-ka-di-mi", etc...

POLIRRITMIA

É quando provocamos intencionalmente um ritmo "cruzado", usando uma ou mais estruturas rítmicas diferentes simultaneamente. Um dos maiores estudos sobre polirritmia no Brasil é o livro "Ritmica", de José Eduardo Gramani.

RITMOS BRASILEIROS

Usamos o termo "ritmos brasileiros" quando queremos identificar células rítmicas características de músicas brasileiras como samba, baião, xote, frevo, bossa-nova, choro, vanera, chamamé, etc... O Brasil é um dos países mais ricos do mundo em diferentes manifestações rítmicas da música popular. Visite a Biblioteca de Ritmos para ter uma idéia.

No youtube você poderá encontrar diversos vídeos que ajudam a ensinar a leitura rítmica e o solfejo rítmico. Abaixo eu coloquei alguns exemplos. Não perca o ritmo!

Solfejo rítmico para iniciantes.

É muito importante que você pratique a leitura rítmica. Para isso temos hoje vários aplicativos que ajudam nesse treinamento. Encontrei um que tem vários exercícios rítmicos além de outras matérias musicais, chama-se Ouvido Perfeito.

Baixe gratuitamente AQUI

Por hora é isso! No próximo post falarei um pouco mais sobre a leitura rítmica.

Até mais!

#ritmo #leiturarítmica #solfejo

587 visualizações